terça-feira, 15 de maio de 2018

O mar da minha vida







Fui molhar os pés
no dorso pleno
do teu rio
mar
no meu caminho
oceano
molhei os pés
as mãos
a nuca
o rosto
então
todo o corpo mergulhei
batismo
sal na minha boca aberta
atropelava o fôlego
recobrando
redobrado
e tomei-te um bocado
pra mim
um pouco
mais um pouco e outro pouco
advindo
gole em gole
gota a gota
embebido
ensopado
nas tuas águas tranquilas
meu agito
no meio do mar infindo
saí do teu leito
encharcado
imaculado
transbordando poesia
minha rima
meu assunto
atrevido... 


Marcos Segala







































segunda-feira, 14 de maio de 2018

Superlativo da Felicidade




Grande parte da minha felicidade
Está instalada 
Em minha casa
O lar aprazível
que consegui construir...
É um lar em mim mesmo
Um Eu dilatado!
Foi tudo conquistado aos poucos
Nada é de uma vez só
A folhagem que hoje está bonita
Enverdecida
Já foi um desespero da vista 
Alguém desistiu dele e o colocou na lixeira da calçada
Adotei o vaso que hoje está exibido
Como se cada folha fosse flor desenhada
Quando chegou, coitado
Parecia ter sido atropelado
Desistido
Um formigueiro tinha feito ninho ali,
Deixei de molho imerso num balde d'água
Por dias...
Foi um socorro intuitivo
De que assim salvaria o vaso de Melindre
Quando o tirei do mergulho imposto
Ele reagiu de novo
Foi um processo de cura!
Assim cada cantinho da casa tem sua história
Num conteúdo de vida marcante 
Como a sua mão na minha mão...


Marcos Segala

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Tal qual o Ipê do meu jardim



Parece mesmo incrível 
o que o tempo faz com a gente
ou o que a gente faz
com o tempo...
Como tudo na vida
a árvore que eu plantei no jardim
nem era árvore ainda quanto foi plantada
Era só um arbusto de empinado meio metro 
um galho frágil enfiado na terra, meio palmo 
Quase não acreditei que fosse dar certo
que ele vingaria firmando raízes no chão 
e crescendo numa promessa de ter uma copa
frondosa e florescer um dia afinal...
Ainda estou esperando que ela cresça
mas cada vez que olho pra ela e dou-lhe água
dou-lhe a previsão certeira de que logo logo
a verei enfeitando de flores amarelas o meu jardim...
Assim tem sido comigo mesmo
Há tão pouco tempo eu tinha pavor de ficar sozinho
Havia um senso de desproteção 
que traduzia em fobia 
os meus momentos solitários...
Agora já maduro, amadurecido
com a envelhescência me marcando o rosto
e tingindo de prata os meus cabelos
me vejo prazeroso e aventureiro
tantas horas sozinho o meu desvelo
estar sozinho já não é um turbilhão... 

Marcos Segala

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Solitário mas nunca sozinho






Cada vez que me encontro
Enamorado de mim mesmo
Exponho
Meus adereços mais latentes
Á conquista 
Como se as qualidades disponíveis
A vista
Não me fossem dantes conhecidas...
Gosto de fazer de conta 
Que não me conheço de fato
E discorro em palavras esculpidas
O que me faria enrubescer a paixão.
Nesse galanteio de mim mesmo
Garanto
Não perder nada desde o ponto
Do primeiro olhar
Primeiro conto
Até um último gesto decidido
A me ver de novo
Comovido
A um novo encontro no portão...
Assim, dia a dia
Saio por aí em minha própria companhia
Afinal nunca estou só enquanto tenho a mim mesmo...


Marcos Segala

 

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Atualidades



O dia acendeu-se luminoso
Abri as janelas para ver o jardim
Afastei as cortinas deixando a luz entrar no quarto escuro
Folhagens tremulando ao vento de outono
A luz do dia incidia cada vez mais brilhante 
sobre o jardim amenhecido
Um vento frio fez rodopiar as folhas secas lá fora
E uma bebida quente me acordou para um novo dia
Gosto de estar em casa nesses dias frios
O telefone não chama há dias...
nenhuma mensagem nova no whatsaap
Políticos são presos improváveis
e viram manchetes no jornal da tarde
escândalos e paraísos fiscais...

Marcos Segala
 

Anseio


Aqueço as mãos 
abraçando com os dedos 
a xícara quente
Parece uma prece
segurada nas mãos postas
Uma espiral subindo aos céus 
meu devaneio
O que será que peço a Deus no meu pranto?
O que me alegra a alma
o clamor atendido?
Como traduzir em palavras o conforto
do milagre feito?
O meu anseio... 

Marcos Segala

terça-feira, 8 de maio de 2018

Costa da Caparica






Quero mais é minhas portas abertas
e janelas
voltadas pra o verde... 
E muros baixos
em volta da casa
meu lugar tranquilo
meu ninho
minha paz.
Quero o mar ali na esquina
Mar onde me banho
onde me banha a alma
onde me salgo
onde teu sal me adoça a boca
na saliva
no beijo
no eterno vai e vem de suas vagas
sob os meus pés...
Quero essa casa com jeito simples
e na minha concepção de casa
uma casa de praia soberana a beira mar... 
Quero mais é minhas janelas abertas
e a vista linda do mar imaginário que eu vejo
no centro-oeste brasileiro
na Costa da Caparica...

Marcos Segala

O mar da minha vida

Fui molhar os pés no dorso pleno do teu rio mar no meu caminho oceano molhei os pés as mãos a nuca o rosto então todo ...