sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Maré Alta

Amar
No mar
Não foi assim nem uma decisão minha Amar
Fui amado e amei
Cativei...
Quando dei por mim
E abri os olhos
Estava sim
Numa praia em mim mesmo
Te amando olhei e vi
Foi amor á primeira vista
à segunda
Terça e
Quarta
Quinta 
Sexta-feira
Sábado 
e Domindo
e Feriado
E dias santos, santificados
Todos os dias
amando você desde a primeira vista!

Marcos Moisés

Imersão, concepção



Tenho encontrado pérolas
No ventre do grande peixe!

Havia pérolas no ventre do peixe!
Agora tenho pérolas comigo achadas no ventre do peixe!

Tenho encontrado um grande tesouro 
escondido no fundo do mar...


Eu (de novo) escondido no ventre

Um tesouro no ventre

Escondido no ventre do peixe.

Renascido depois de um Amor encontrado,

ReNascido depois de um Ato de Amor

Concebido.


Marcos Moisés

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Esperança



Tentaram fazer calar o meu
Amor
E amor próprio e afeição
e a declaração
exata dele nos meus escritos...

Quiseram calar minha voz e
a clara ação da vida
que brota perseverante viva.

E vejo a declaração do Amor
outra vez insistindo em se manifestar.

Se o Amor
Quiser
Por si mesmo que leia
ou não leia
Que veja
ou não veja
Seja
ou não seja

Seja lá o que Fosse, Era e Seria em fim.

E o que eu faria se Ele não se reconhecesse escrito aqui?

Mas se passa por aqui o Amor
Na janela da vida.
E
Lendo
Reconheça-se a si mesmo
e me atente

E me atenda o clamor

Que o Amor me leia,

Me veja

Me seja todo pra si.


Marcos

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Arrisque






Apaixone-se!
Ame,
Sem medo de perder-se no outro...
Completude.

Morrer de amor
é melhor do que morrer sem amor amar
Morrer sem bem nenhum
Morrer de mau amar.

A gente sempre morre um pouco
Quando o outro vai embora o seu destino
Mas fica vida-viva
Dentro da gente
Compensa
A aparente perda no caminho...

O que fica, é o que compensa,
Amor fica!


Marcos

sábado, 24 de setembro de 2011

banqueteia





Como então
das migalhas da tua mesa
Caídas
Mas como perto de ti
e comes perto de mim...

Eu debaixo da mesa
Banquete Certeza!

E que me importa
Se não me cabe á mesa deles comigo,
Se tenho eu mesa contigo.
Tu em mesa comigo!

No bom bocado
Do teu prato repartido,
Eu
Por tuas mãos servido...
Eu debaixo da mesa
Poes-me mesa contigo
Tú em teu posto convido,
Eu no banquete contigo.


Marcos

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Crisálid0



Encapsulado
Numa vida triste...
Desanimo!
Vou me levantar
E renovar as forças do que eu sei em mim.

Bom animo!

Arregaçar as mangas
E retomar ao trabalho
"Homens ao mar"!

Essa casca velha vai mesmo se partir um dia,
Se arrebentar aos ventos dentro em breve...!
Quem diria?

É assim com a crisálida-lagarta-transformada.
Minha Grisálida
É chegada a hora e é agora
O dia já vem,
Atou-me cheio de ideias e contentamento
Animado!

Estive faminto ideal-por-elas... Deste menino
Desde menino.

´Gora brotam multiplicadas
Cheias de vida!
Inspiração.

O marasmo dos anos infrutíferos
vou deixar que se evaporem
e detê-los no passado, aprisionados
Não me pertence mais aquilo que passou.
Vou esquecer!
"Mortos enterrem seus mortos",
Eu quero abraçar a vida e ter vida!

Rasteiro absoluto ainda
Entro de novo na pista, derrapo o meu carro
Atrasado!

Tenho pressa de ser feliz!

Por onde estive parado no tempo?
Tempo que passa por mim apressado.

Encasulado em mim comprimido

-Drogas me fariam entorpecer!
Cegar o bem querer - de quem se quer bem.
Rejeito!
Que jeito?

Janelas abrem imagens
Mais belas diante de mim.
Olhos arregalo!
Á regalo!
Presente bem vindo em tempo chegado.

Onde estive acumulando o meu tempo perdido?
Empilhado!
Onde está detido
que eu não 0 alcanço mais?
Onde aproveito o tempo que se me dará Patrão?
E o tempo previsto que se me virá Balão?

Voa Balão...


Marcos



Tesouros que eu vivi



Mudei
Minhas lembranças
Pelo
Menos
Aquelas de eu quero me lembrar.

Belas lembranças
de lembrar.

Seleciono de todas
Umas,
Dúzias
Centenas
Muitas

Não sei qual abraçar.
Pareço estar mexendo em meus guardados
Um baú de recordações...
Como quem acredita
Precisar destas todas pra algum bem amanhã...
Algum fim melhor!

Emolduradas na memória,

Vitaminas!

"Espero por coisas grandes e ocultas que não sei ainda..."

Chegarão por certo,
Acredito!

Coisas pra lembrar depois,
Coisas pra você lembrar.

Um riso largo... Assisto!

Mudarei minhas memórias
E lembraram de mim em mudança de vida!

Sem apreensão,
Não
Ainda tenho tempo
Você ainda virá que eu Sei.
Aguardo
Resguardo.


Marcos

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

barganhas



Eu ganho
Tu ganhas

Eu ganho
Tu ganhas
Não ganho
Tu ganhas
Eu não ganho
Me inflamo
Me assanho
Assisto-Previsto-Insisto
Reclamo.

Eu perco
Tu ganhas
Me apanhas...

Tu ganhas
Eu ganho.

Quando ganhas
Ganho
Quando ganho
Ganhas
Barganhas o meu ganho.
Ganhas o que eu ganho
Ganho o que ganho.


Marcos

melgas


Ai
Essas
Melgas
Me infernizam a vida
Me cercando
com seus zumbidos
e
Rodopios inalcançáveis
Voos rasantes,
rápidos altaneiros
Haja veneno pesticida que te alcancem...
Quem pode com isso?

Banem-se!

Sobrevoando-me
Pra me tirar o sangue!
Não me deixam em paz...

- Dizia a avó,
Fartamente irritada, impaciente.
Cansada.

Calma avó,
Um repelente nos resolve tudo
e esse pavoroso incomodo vai passar...


Marcos

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Pra fazer-te sorrir




Ontem depois
de escrever-te a ti,
eu demorei
em pensamentos
e confabulações...

Se em algum momento
a tristeza te sobrevir insana,

Saiba que
eu pedi a um anjo
pra de repente te levar flores

Cada vez que pensares
que tudo tenha ficado
Opaco
ou Árido demais.

Abrace a Primavera!


Marcos

O poço e eu





Estive
No fundo do Poço
Afundado
Inundado
Afogado...

Depois,
Á margem do Poço
Trascorri
Vim buscar água
No mesmo Poço
Transtornado
Tranformado.

Depois,
Eu mesmo me tornei
No Poço
Tornado por ele mesmo
Um Poço em mim.

Satisfeitos!
Eu e o Poço.


Marcos

Alí...



Fui alí
Ser Feliz
e,
Volto Logo!


Marcos

Ação exibida!





A Primavera
é apenas uma Amostra
Um Vernissage
Da Obra Criada!


Inspire-se
e
Aconteça!



Marcos

terça-feira, 20 de setembro de 2011

O amor te concebeu,




MEu filho,

Jamais duvide do amor de ser amado,


Sua vida nasceu de um plano e projeto bem pensado evoluído no coração de tua mãe e que eu aprovei, ela me ganhou de imediato para participar do que ela intentou haver entre nós, ela não apenas aceitou o meu amor, mas quis um filho meu... Ela quis um filho comigo.
Estou em riso agora por que quando me lembro desse episódio da minha vida, rio por dentro, num contentamento que me aquece e contorce estranhamente as minhas entranhas - seria a isso que chamam: um frio na barriga? Como penso que se move no ventre da mãe a criança, assim também eu experimentei o estar grávido de ti e saiba que não foi fácil me ater ao outro plano de sua mãe, o de jamais permitir que tu pudesses ser meu ou estar comigo!

Eu cresci sem ter-te a ti por perto, mesmo quando eu estava perto. Amadureci e passaram-se os anos, e nunca mais coloquei os meus olhos sobre ti – filho da minha mocidade, mas saiba que desde sempre planejo o dia e hora em que verei o teu rosto e que tu o meu rosto verás novamente... Espero, 


Não vimos os frutos mútuos, nem as minhas flores tu também não vistes... Não me acompanhastes ao trabalho ou a qualquer solenidade ou diversão... E é provável que isso te perturbe um pouco... Pois que me perturba. Poucas ou nenhumas impressões a minha vida carimbou-impressionou a tua! A não ser por histórias relatadas por tua avó e pelas lembranças que tens de mim.

Também me confunde o fato de que nunca tenhas estado em minha casa, nunca pude me servir de tê-lo á mesa comigo!

Em nenhum momento de tristeza estavas ao meu lado e na tua tristeza ou dor-dissabor... Não notifiquei...

Mas também foste poupado de vir a ter motivos pra me odiar... O convívio promove rivalidades incontáveis... Nunca fui um “radinho” no seu ouvido antenado a captar os anseios do meu coração paterno! Riso,

Nenhuma festa e nenhum balão, nenhuma velinha de aniversários e, todos os presentes me foram devolvidos... E nenhum culto santo ou  santa Ceia promovida de comunhão que trouxesse o realce de motivos para me amar e converter o teu coração de filho ao meu coração de pai e meu coração ao teu convertido.

Fomos separados num segundo plano e nos vimos muito poucas vezes, mas faz o Senhor que mesmo estando do outro lado do mar, meu coração não descansa o teu assunto e solicitude amada!

Não te vi crescer e não te acompanhei a ti na tua caminhada, só de longe... Muito ao longe! Beirando o imaginário!
Ó meu amado,
Saiba que ao colocá-lo nas mãos da Providência cri que elas cuidariam que o teu caminho fosse exercido nele no teu caminhar. Clamo e não calo o coração, peço que cuide Deus dos teus cuidados, cuidando de cuidar dar á Deus o cuidado de tua vida filho. 


Eu amei a tua mãe como legitimamente ama um homem uma mulher. Entregamos-nos aos planos do amor, se assim não fora de que outro modo tu haverias de nascer e existir? Quando ela se sentiu atraída por mim ao ponto de tramar ter um filho comigo, um filho meu... Um nosso filho! Cedi. Prazeirosamente cedi aos nossos apelos de atração mútua. Não a culpe-desculpe.

Houve um plano por tua vida repito, sua mãe desejou-me e me encheu de graça. Eu era jovem, era um moço tímido na minha masculinidade, eu era doce, educado, gentil, gracioso, me vestia com cuidado e prestava larga atenção ao belo... E tua mãe era uma linda mulher! Lembro cada segundo dos momentos que juntados todos se aliaram na construção do dia em que o Senhor te chamou pelo teu nome no ventre da tua mãe. Eu amei a tua mãe e com ela celebrei uma aliança nos nossos corpos... E foi dessa aliança que nasceste no dia em estivemos enamorados.
Mas ela guardava outro plano em segredo, e que depois do teres nascido me contou que levaria embora o filho.


Mas, toda a solicitude guardada na espera por ti ver um dia, recorda o coração que um dia em mil anos, mil anos em um dia e eu te verei novamente como te vejo cada vez que percebo uma batida diferente no meu coração como quem traz cavalos velozes galopando no peito a ponto de disparar e saírem todos boca fora!


Meu coração sempre está contigo, podes sentir disparar o teu peito quando pensar em mim... Esquece as dores e absurdos dos desentendimentos da vida... Nem procures explicações
que não convencem... ! Aquieta-te confiante na Palavra que nos estabelece a esperança e nos mantém na vida, amando e sendo amado,


Esteja á mando de Deus meu filho...

Teu pai
Marcos Segala 


dias sem você





Até mais,
no mais tou por aí com vc,
é so fechar os olhos,
vai me ver!


Marcos

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Você no mar e eu no a-mar



Bom dia meu querido!
Estou provido agora mesmo de um enorme sorriso.
As nossas mensagens trocadas, a sua amizade, as coisas que me relata os seus escritos... Tem me feito um bem enorme.

Houve épocas em que tudo o que eu queria,
vivendo longe de casa, fora do Brasil, distante da família e
daqueles amigos-amigos, eram notícias longinquas; na época, carta escrita á mão, com letra bem desenhada, abrigada dentro de um envelope com listras verde-amarelas notificava a brasilidade da notícia compartilhada.

Era um envelope bonito, bonito o selo... Bela a mensagem atribuída ás novidades e imagens contidas ao longo
do texto escrito.

Era sempre uma alegria abrir o envelope, eu tinha comigo até uma "pequena espátula", instrumento
apropriado para abrir um envelope. Eu já-era-sempre um apreciador de boas novas!

Aberta a carta, apreciava desdobrar o papel que fora dobrado obedecendo
á proporções dantes atendidas... Era tudo feito de um modo lúdico, quase um ritual... Desde o escrever até o dobrar a carta escrita para envelopá-la.

As suas mensagens via e-mail, tem hoje esse mesmo sabor. Coisa que me sabe fazer contente
e feliz. Feliz com pequenas-grandes porções de vida que nos chega assim para amenizar alguma dificuldade...

Ah essa tribulação
que sobrevoa as minhas carniças como um urubu!

   -"Passei o domingo na praia." 

Há tanto tempo não vou a uma praia... No máximo uma piscina... Mas todos os últimos banhos de piscina
num clube, foram de grande prazer... Penso que tanto pela boa companhia, quanto pelo prazer e bem que um banho
nos proporciona. Olhar o mar é tudo de bom! Adorei o tempo em que vivi no Rio de Janeiro, Depois ver o mar do
outro lado do mar... Lá em terras portuguesas... Depois o mar da Inglaterra, e todas as águas de Amsterdã.
Foi tudo sempre mar e amar... Risos.

-"Ah! Na verdade, preciso de um auxilio de um profissional de interiores. Está certo que já tenho um analista (Rs), mas é que quero mudar praticamente tudo aqui da casa. É como meu interior. Nossa!"

Então combinado, vamos assumir a reforma do seu novo apê... Conte comigo, se tiver como me mandar fotos, metragens da planta, disponho de algum modo um layout
de distribuição dos móveis e lhe envio... Rs. Eu, seu analista?! Você sim tem contribuído para que eu faça
uma boa análise de mim mesmo. Tenho crescido muito com nossos diálogos! Sigo olhado pra dentro de mim e finalmente,
vou gostado do que encontro por aqui. Muita coisa foi resolvida, reformulada, muito lixo jogado fora.
Tenho
agora uma Águia sobrevoando os meus caminhos, não mais aquele tenebroso e fúnebre urubu!

Estou todo bem disposto, estou vivendo nitidamente o pior momento-tempo da minha vida, mas o melhor e
mais avantajado período que já me cercou. Sou coadivante de uma cena reservada agora para esse tempo da
minha vida que de tão rico, tão contente e restaurado, que não encontro outro momento na minha vida que
caiba nele tanto contentamento-feliz.

Despeço-me nessa alegria e contentamento renovado.

Tenha uma semana feliz, avance na boa pintura do seu apê, vamos escolher umas cores para o seu apê-interior
e deixar tudo por aí, novo-colorido. 

“A tomada de consciência é um processo irreversível”.

Outros fortes abraços pra vc e entre eles um que lhe seja exclusivo-escolhido,
Fica bem,


Marcos

Ela não mora mais aqui


Uma correspondência triste chegou
E devolvi pro correio,
Não era pra mim...
-Ela não mora mais aqui, disse-lhe,
Categoricamente.
Mudou-se
Em fim.

Saiu daqui assim,
sem pressa e sem dolo

Foi-se afastando num pouco-a-pouco
Num muito-a-muito sem fim.

Excedeu-se e desapareceu! Sumiu no ar asfixiada... Partiu.

Ficou enciumada da-minha-própria-companhia
que se me mostrou presente em mim - Eu que não
me gostava tanto, eu que nem me respeitava a esse ponto;

Desbanquei a solidão sem medo de ser feliz.
e impôs a ela mesma a desistência...

Deixou de medir forças comigo e se foi.
Apelou-escafodeu-enraiveceu-de-vez!

Pestilência homicida da minha alegria e do
meu próprio bem querer.

Arrumou suas coisas tolas e partiu...
Seus guardados e todas as subtilezas suicidas
Levou consigo todo o amargor e desespero-desistiu.

E me deixou assim aliviado.

Desanuviado, acordado de que ela não volta mais.

Agora sou sabido de ser mais feliz constantemente
do que fora do ar colocado...

Desconheço a verdade de quem diz que a felicidade
não existe-sempre... E se contenta com pequenos préstimos da amistosidade dos momentos felizes.

Descontentei-me dos momentos infelizes
e assumi felicidade por inteiro de mim.

Finalmente fiquei bem comigo mesmo!

Se divorciei da solidão
Casei-me já com a alegria desde então!




Marcos

Salmos 127




Se não for o Senhor o construtor da casa,
será inútil trabalhar na construção.

Se não é o Senhor que vigia a cidade,
será inútil a sentinela montar guarda.

Será inútil levantar cedo e dormir tarde,
trabalhando arduamente por alimento.

O Senhor concede o sono àqueles a quem ama.

Os filhos são herança do Senhor,
uma recompensa que ele dá.

Como flechas nas mãos do guerreiro
são os filhos nascidos na juventude.

Como é feliz o homem cuja aljava está cheia deles! 
Não será humilhado quando enfrentar seus inimigos no tribunal.


sábado, 17 de setembro de 2011

Penhor




O Amor

Pra ser Vivido

no Penhor descrito

tem de ser Correspondido

Tem de ser Imitado

Imitação-de-Cristo.



Marcos

Nú-encontro



Tudo me tem feito muito bem,
tudo agora me faz muito bem.

Decisão!

Mordo-farto o lado doce do fruto
o azedo,
o amargo,
apodrecido é lançado fora.

Fica o melhor do bom que me cabe!
Tenho mesmo aprendido a conviver bem

com o que noutros tempos me limitava e restringia.

Hoje gosto da amizade que dedico a mim mesmo.

Tornei-me em descoberta-eureka!

Uma grande boa-afável companhia!

Quanto tempo eu me fiz perder
Ausentado de toda possibilidade de estar e me curtir.

Curtido, até que o sabor fica intríssico ao que se sabe bem...

Estou mais bem composto,
Nessa compota caudalosa de sentimentos!
Mais educado e gentil comigo agora.
É provável mesmo
que eu tenha feito as pazes comigo próprio!

E me pergunto,
por que é que eu tinha tanto azedume para com-igo

Tão pouco amigo
eu ini-migo do Eu que habita em mim
vivendo ás zangas-implicâncias envelhecidas-distorcidas... ?

"Como o ferro afia o ferro, assim afia o homem o rosto do seu companheiro..."

No espelho traduzido da minha imagem refletida
em cada rosto que reluziu o meu ser,
Acabei por entender que a melhor parte de mim
reside e encontra lugar na identificação percebida dos iguais á mim
que me aceitam, me acolhem e se me oferecem
pra mim em si mesmos
o bom 
o bem
que esperam também receber.

Seria o caso de eu estar me encontrando
cada vez mais me revelando-conhecendo-conhecido
de minha própria alma e mistério?

Sempre vi aos outros como admiráveis e belos leões...

Vejo a mim mesmo agora em

imagem-refletida-do-outro-correção-de-mim-mesmo!

Amando ao outro como 0 eu mesmo de mim.




Marcos

Amor é outra liberdade



Amor é outra liberdade
Não é o susto da paixão
Não é um raio,  é um espelho
Não é o medo da solidão
Uma paixão naquela esquina
Prende um punhal em sua mão
O amor semeia, colhe e espalha
O amor divide sua ração
Uma paixão quando envelhece
Senta no cais com os olhos fundos
Quer viajar por outros mundos
Quer ver mais perto, romper abrigos
Redescobrir-se, perfil incerto
Surpreender, velhos amigos...
E no terror da liberdade
Cuspir o anzol...


(Suely Costa e Abel Silva)

Existo


Penso,

Logo

Escrevo!


Marcos

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Tudo tem paixão




Apaixono-me fácil e me apego

Senão por uma pessoa,

Uma música
Uma terra-chão
Uma nova fase-razão
Uma nova idéia-motivação.

Se não por uma pessoa
Um simples sorriso
Um flerte e gargalhada
Um encontro-só-visto
Uma aura-sagrada
Alucinação...

Por estado de alma
Um sentimento nobre
Nada que se compre
Nada que se pague em conta

E me apaixono por um possível que se me cabe-dentro
Pronto

Uma nóticia
Boa-nova-alegria
Um ponto
Um conto
Um história de virgulas e reticencias...

Imagem-nítida-fotografia-viva

Uma mensagem no celular-surpresa!
E o medo-fora-do-ar...

Eu me apaixono e não tem a ver com sexo
com o tédio não tem haver.
Não está sempre em uma pessoa
Está em ser
Em ter
E fazer.

Assim,
Tenho Sido Tudo
Tenho Feito Tudo        }   Um Grande Apaixonado!
Tenho Estado Tudo
Tenho Tido Tudo


Marcos

Sou



Sou o que eu fui
Sou o que eu sou
Sou o que serei em Cristo

Sou o que sou

Quando
o Eu Sou
for em mim o que eu sou nEle em mim
serei nEle o que Ele é em mim!


Marcos

desasossego masculino




Já olhei com medo
Pra toda a feminilidade
Concentrada em mim
Em alto grau
de sentimento
e de emoção...!
Já me repeli-repreendi-reajustei-desconcertei
Já me afoguei em mágoas mil
e solidão no meu interior
Inferiorizado homem-mulher da Criação

Depois,
Compreendi
Que Deus vê

Que Deus me vê no feminino
E vê a mim,
Homem-Igreja-Noiva
de Cristo!

Marcos

Eu e você



E a gente
Caminhava
Assim
Por aí,
Contando histórias
que vão ficar pra contar,
Acha que dá pra esquecer?

                                                                          Vou lembrar!


Marcos

vôo livre






Se eu estou
apaixonado?

Se estou amando?

A vida me faz eterno amante!

A vida é apaixonante!

Eu estou,

Você está?



Marcos

Barco negro




De manhã, que medo, que me achasses feia!
Acordei, tremendo, deitada n'areia
Mas logo os teus olhos disseram que não,
E o sol penetrou no meu coração.


Vi depois, numa rocha, uma cruz,
E o teu barco negro dançava na luz

Vi teu braço acenando, entre as velas já soltas
Dizem as velhas da praia, que não voltas:


São loucas! São loucas!

Eu sei, meu amor,
Que nem chegaste a partir,
Pois tudo, em meu redor,
Me diz qu'estás sempre comigo.

No vento que lança areia nos vidros;
Na água que canta, no fogo mortiço;
No calor do leito, nos bancos vazios;
Dentro do meu peito, estás sempre comigo.


Amália Rodrigues

Fado da Mouraria



 

 

Zanguei-me com meu amor
Não o via em todo dia
À noite cantei melhor
O fado da mouraria!

O sopro duma saudade
Vinha beijar-me, era hora.
Pra ficar mais à vontade,
Mandei a saudade embora!


De manhã, arrependida,
Lembrei e pus-me a chorar.
Quem perde o amor na vida,
Jamais devia cantar!


Quando regressou ao ninho
Ele que mal assovia,
Vinha assoviar baixinho
O fado da Mouraria!


Amália Rodrigues


no seu ombro






Eu te preciso
realmente
meu ombro-amigo
e assim te ver
e assim me manter
apenas ombro
apenas amigo...

pensar em te ver
com um outro ombro
ombreando o seu ombro
Assombro!


Marcos

Completude



Acabei me adptando
á essa
nova realidade
envelhecida
enlouquecida
renovada
reformada
adaptada pra mim...

Trouxe as coisa que me são
e as que me traduzem certeiro

O meu banho
A minha cama
O meu lenho

Minhas histórias
e faz de contas
contadas ao meio
por que por inteiro
quem iria contar?


Marcos