quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

bolhas de sabão



Algumas
situações
de grande apreço
parecem tão frágeis
perecíveis
fulgases
como sonho
de que lembramos
conferido 
ao longo do dia
como lembrança
insistida em se olhar de novo
como renovo avantajado
de outro novo debulhado
no romper do dia
como flores perfumadas
duram horas
pouca vida
como sua mão na minha
e a poesia instalada
nesse momento dentro
pura razão de vida
perdurada
perpetuada
no coração de quem
lida...



Marcos Segala

diz-me o que falas, não entendo nada



Diz-me
coisas
que não alcanço
decifrar
significado
quando falas
de política
ou de homens
investidos de autoridade,
austeridade
quando me falas de guerras
e fomes
e falas de medo
e isolamentos
infames
não sei o que dizes 
se dizes preconceito
perseguição 
exclusão...
Não alcanço o que falas
se falas 
futuro
com pressa do que tenha sido
previsto
nas tuas previsões pessimistas
assassinas 
superstições
ídolos
labaredas
religiões... 
Nem sei do que dizes
e ao que se refere
quando fere
a pele 
o coração
sua mão encolhida
arma estendida
corpo largado no chão...
Não tem dicionário
escritos 
descritos
de desumanidade
realçada em palavras
que não sei dar sentido
e razão...




Marcos Segala

velhas historias novas



Gosto de caminhar
pelas ruas do centro velho
da cidade,
gosto de rever
e contar as historias
escritas
entalhadas  descritas
expostas em galeria  
natureza viva
historia de um passado feliz
bem visto daqui
passado bonito
enpoetizado
ipinotizado com o futuro
que viria
hoje empoeirado
releitura do
futuro relido
passado relembrado
futuro vivido...



Marcos Segala

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

segunda pele






Esta pele
que cobre a pele
me veste
de pessoa
revestida
de pele exposta
vida.
Fico pensando
em como seria
se outra pele
me vestisse
negra pele
índia pele impelida
se português eu fosse
se inglês seria
se francês 
iraniano
grego eu pele nascido
Como seria
me vestir de pele 
não brasileira
que fosse estrangeira
seria
outra pele sobre minha pele
inserida
e eu vestiria sempre
eu mesmo
travestido de outra cara
outra pele vestido...
Eu
debaixo da pele
despido
Se a pele 
que me reveste
homem sobre a minha pele
se pele feminina fosse
hétero-pele-gay
gênero pelúcido
enternecido
tecido no ventre de mãe
a minha pele acrescido-destino
Que pele eu teria sido
se tivesse resistido
vestir essa pele
que eu vivo
na pele
a pessoa
que tenho sido 
desde nascido
?




Marcos Segala




guardando o coração




Há coisas
que são
grandiosíssimas
parecem dificílimas
de contornar
Outras
grandes o bastante
que só o caminho
ensina
superar
dando a volta por cima
tirando os pés do chão
Quando a vida machuca
os pés
não alcança
o coração...


Marcos Segala


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

tudo de verdade



Fingi
que as flores
eram pra mim
e vi
sorridamente
que as flores
também
fingiram de si
de serem pra mim
Recebi
e já não sabia
se me fingiam as flores
verdade fingida
ou se a verdade
fingia ter flores pra mim...






Marcos Segala

consumação







Cada
vez
que 
vens
me
tens
um 
pouco
mais
pra 
ti...






Marcos Segala

fonte









A minha 
esperança
que não descansa
encontrar-te
a qualquer momento
de repente
bem de fronte
á minha fronte
na procura
no caminho 
fonte minha
minha fonte...




Marcos Segala

domingo, 26 de fevereiro de 2012

tanta vida-minha vida








Vida
vinda
boa vida
boas vindas
vidas
passando
dentro
da minha
vida
motocontínuo
de viva
vida
dentro
em movimento
todo dia
todo o tempo
vida
contratempo
contra o vento
vida gira
catavento...




Marcos

aquietando o pensamento









Se estou triste?
nem por isso
é um pesar
que de pesado 
não me cabe nos olhos
não cabe aos molhos 
palavras escritas no coração.
É um silencio 
um quê de vazio
enche as proporções inteiras do meu peito
Um desajeito
Um desatino
Um maremoto
devastando visões 
do sonho de depois
e se adiou no tempo 
o tempo de ser feliz 
Contudo, 
arde a luz do sol em mim
e invade imensa a cor dessa manhã
enchendo de vida
e calor
essa manhã inesperada
dentro e fora das minhas janelas
alma
e paredes de pedra
pássaros esboçam canções 
do alvorecer
e a vida-festa-continua-viva
Um contentamento instalado
habita em mim
meu lenitivo
alma dentro
único pensamento
que agora me domina
- sossegai
sossegar
sosseguei...




Marcos

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Outro tanto







O que eu tenho 
em ti
é tanto
tanto
que outro tanto
poucochinho
em meu caminho
nem cabe 
o tanto
que tenho teu
no tanto que tenho pra ti
tanto junto
ajuntado...




Marcos Segala

Avance







Na 
dúvida
não ultrapasse
Insiste
na confiança
que alcança
Fiança...






Marcos Segala

Clichê







Bem á frente dos olhos
e não se vê
bem debaixo do nariz
e são sentiu
lá dentro do ouvido
e não ouviu
bem acima de tudo 
e não caiu...




Marcos

As dobras da felicidade







Felicidade
é assim,
existe felicidade
que me vem de você
outras
de outras fontes veem
que jorrando vivas
nos faz felizes sempre
outras fontes felizes
e outras ainda mais felizes
tem,
se assim não fora 
felicidade
viria de um só ponto de vínculo
sem ponto e vírgula
me servisse feliz 
no caminho da fonte...




Marcos Segala

Serenata de amor


Desliguei todos os sons
dentro de casa
silenciei
assuntei 
na música lá fora vindo
Atentei 
cada ouvido
cada nota cantada 
sua música ouvindo
chuva cantando pra mim
chove lá fora
música aqui...






Marcos Segala

Sobre nuvens


Lençol azul
sobre a cama
estendido
vejo tudo céu
tudo nuvem
tudo um lugar alto
posto
acercado
enfrondecido
ninho
tudo tranças
janela
subindo
resgate vindo...
E se deitava sobre nuvens




Marcos Segala

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

história escrita







Eu não sei 
exato
escrito
o que está
sendo 
escrito
nessa história
minha vida
sei escrita
nas linhas do meu tempo
perecível
todo tempo me escapar
não sei de todo
e sei de novo
estar aberto
janelas e portas
dilatadas para o novo.
O que há de vir
virá
por que já veio 
1 vez
outra vez virá
É só aguardar...




Marcos Segala

dádiva-asa-vida







Deu-me asas
e um canto
pra cantar
ninho
instalado 
alto

céu azul 
infinito
canto 
ilimitado
lindo
vida acelerada
avoada
contemplada
de alturas
longe 
do chão...






Marcos Segala

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Relicário



A louça
de porcelana
branca
há tanto tempo
guardada
gerações,
alinhavada
de enfeites
de desenho
delicado
metais nobres
finos
banhada,
guloseimas
bem servidas
avantajadas
esperadas
serve agora
nossas manhãs,
louça fina guardada
agora usada...


Marcos

Festa interior





Era carnaval ?
Nem vi
não me apercebi
estava todo distraído
pensei outra coisa
sei lá,
sei que era melhor
que festa...
Era lua
era sol
era mel
e dias varados
de festa em mim
bolo bem casado
casei por amor...


Marcos

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

aviãozinho de papel





Dobrei
dobrei
bem dobrado
vinquei um avião
forjado
em folha branca de papel
quis incitar
o vento
e sem contratempo
me lançar ao espaço
percorrer um voo
ligeiro
posto
mas decididamente
demorado
como beijo molhado!






Marcos Segala

lembrança





Umas florinhas
miúdas
ficaram sobre a mesa
esquecidas
amanhecidas
lembrança viva
de que havia 
aqui um vaso com flores
anunciam 
um tempo bom e colorido
um jardim florido
que plantamos juntos
sem depois...
Tendo cortado 
tanta flor 
do meu jardim
quase lamentei
o fato,
depois lembrei
consolei
imagina quanta flor
há de brotar
outra vez no lugar
do galho podado?
Tudo novo
renovado!


Marcos

domingo, 19 de fevereiro de 2012

navegar é preciso, viver...







Parto
meu barco
arranha o cais
rumo ao horizonte
logo de manhã,
um rasgo de visão
inédita
se abre em meu caminho
"por este caminho que se abre agora
nunca foste antes"
Quem diria 
acordar
embarcar
apontar longe o rio
águas vindo 
me levar ao mar,
terra á vista
outra história pra contar
e contaria
embarcaria
apontaria noutra direção
hora de partir atravessar
outra história pra contar
esse,
nunca
foi caminho onde eu tenha ido.




Marcos

Tanto mar, tanto mar...







O homem visionário
viu o mar
olhou no céu o horizonte
e resolveu atravessar
curioso de outras terras
conhecer
outra gente encontrar
outra porção abocanhar
vida encontro-despedida
nem triste 
nem alegre
expectativa
lá outro braço de mar
alguma lágrima salgada
á maresia misturada
consternada
outra lágrima a rolar
teria eu salgado também o coração?
fosse emoção
um sentimento bom
uma saudade boa
completamente voa
gaivota
gaivotear um novo amor
um estrangeiro de além mar
...
É que toda história pede
ao fim da história
outra história contar...






Marcos

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Trilho novo







Você }
trouxe
nova trilha
sonora 
pra minha vida
cantar
Fazia tempo
que eu não ouvia
isso...
Quero ouvir de novo amanhã
música em você
vem me ver...






Marcos

solidão










saiu
á procura
de um lugar
onde
recostasse
a cabeça
ao peito
de alguém
querido
e amado,
mas não havia 
lugar para isso
Quem...






Marcos

Retrovisar







Deu-me 
olhos
em todas 
as direções
retrorvisar
retrovisores
mostrando-me
o que vem 
atrás de mim
o que
á frente
vem
vejo bem...




Marcos

Em Goiás se diz "trem bão"






vem

trem
e se não vier
outro vem
trem bom
trem bão
trem são... 
Perdeu o trem
Não, desci uma parada antes
precisava caminhar um pouco
ta agendado outro trem vai passar
pra me pegar
Vou esperar...




Marcos

Equilíbrio









Tirou-se
as rodinhas
de apoio
da bicicleta
depois
que o menino
sabe
equilibrado
andar 
sobre rodas
Um apoio necessário
suprimido


É-qui-li-brio
livre
arbítrio
novo
escrito




Marcos

acorrentados







A
cadeia
obriga

impõe
a
aliança
propõe

dispõe


Estou inteiro á seu dispor
Princesa,




Marcos

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

novo olhar olhei e vi





Quando olhei
alguém
com os olhos
que te olhei
tanta vez 
olhei
descobri
que 
não estavas mais lá

Outro olhar olhei
era outro olhar
não mais o seu 
no meu
olhar



Marcos

vasculhando o coração







Guardei
você
tão bem guardado
que não sei onde deixei
Reviravolta...




Marcos

de portas abertas







Se 
ele 
já está 
preso a si
deixai-0
ir
livre assim
por aí
no ir e vir...




Marcos

espinhos





Cactos tem espinhos,
pra preservar a água
espinhos na roseira
pra preservar beleza
delicadeza
tem também


Machucou 
quando rompeu,
Machucou 
quando juntou
Machucou 
quando doeu


A rosa
e o dedo do poeta
Coração....




Marcos

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

pássaro, canto





Talvez
haja posto
um canto
inevitável,
quem sabe triste
por isso mesmo
haja alegre
um outro canto
que eu sei
cantar e canto
insistente
ser contente
ser feliz
apesar do triste
cantar 
que canto...






Marcos

"foi assim..."









"foi assim,
como um resto de sol no mar
como a brisa na praia mar
tu te fostes de mim..."
Meu desespero nato
meu desespero mato
insisto 
prossigo
não desisto
vou voltar
quanta generosidade
no estrangeiro conheci
quanta generosidade
tenho eu por cá, 
e sempre
como empréstimo
abastecido tive
devolver tudo no momento da partida
e armazenar outros tantos
ao voltar
Nem era ainda primavera
era o fim de verão
isso era
ainda chovia
e o calor ainda me domina
paixão...
Todo o fim tem seu meio
recheio
sabor e saber
acabar...
todo começo 
recomeçar
novo amor
novo sabor
novo saber
encontrar...




Marcos

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

algo em comum







Quem 
essa canção 
escreveu
em letra graúda
linda
traduziu
sentimentos
aos meus
iguais,
Palavras
que choro
agora
canto
ouço...






Marcos

ele na janela dela






No medo
dela
dentro dela
ficar sozinha 
toda a vida
ela deixou 
crescer o cabelo
e o lançou
pela janela,
ele subiu até ela
para vê-la
para tê-la
nos olhos dele
os olhos dela
Me empresta o véu
Rapunzel...




Marcos

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Medo, não



Medo do escuro?
Tenho não,
vendo o céu
abajur de estrelas
iluminado
Lustre lua cheia
Luz acesa
na escuridão
Medo, 
não.






Marcos

as suas-minhas histórias enluaradas







Minha mãe
contou-me
histórias
que me protegiam
em noites sombrias
e ainda
surtem efeito
como por encanto
eu canto
eu conto
histórias de você
e vou dormir
no sossego
sossegado 
das histórias 
contadas
aquietam-me 
a alma
e renova a confiança
Criança...






Marcos

coração de vidro







Meu
coração
cuidado
é frágil
vidro
amores perecíveis
vítreos
se quebrar
cuidado, 
não vai colar...




Marcos 

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Rafael escreveu isso e resolvi publicar







"Só a flor
sabe
qual o pássaro
a derrubou,
a flor caiu, 
morreu
o pássaro voou..."




Rafael

sem dono,







Se eu fosse
de alguém
pertencesse,
não teria sido seu
como de ninguém 
sou eu
pertenço
nem seu também sou eu...




Marcos

Posseiro





Dei-te a ti
toda a extensão 
de terra 
que possuo
o coração


Deu-me de si
toda a vastidão
de vida
que possuo
brotando
o coração...






Marcos

Cotidiano







TodoS os dias
almoço e janto
lancho
xícaras de café
abasteço
todos os dias
durmo e acordo
me levanto
deito
sento
me apronto
saio 
vejo
aconteço
todos os dias
aconteço

aconteço...




Marcos

confesso que vivi







Desperdicei 
tudo o que eu tinha
Pródigo
aproveitei
tudo o que eu tinha
Lógico
tudo o que eu tinha
viver
vivi.




Marcos

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

desencontro





Mais vale
a dor
que se acende
na despedida
que a ausência
farta
da inexistência
total
de um encontro
amigo...




Marcos