domingo, 22 de abril de 2012

meu refúgio




Quando cheguei aqui eu já não tinha comigo nenhuma ternura de sobra andava sombrio descaído entristecido eram tantas sombras tantas dobras que se foram toda a ternura e a vontade... Depois fui tomado de tanta gentileza e alegria, regozijo que mesmo tendo eu tão pouco e nenhum alento me renovei de fato mergulhado posto isento nas cândidas águas do teu conhecimento, contentamento, deslumbramento...

 Marcos Segala







Nenhum comentário:

Postar um comentário