sexta-feira, 6 de abril de 2012

sal na minha boca



Fui molhar os pés
no dorço pleno
do teu rio
mar
no meu caminho
oceano
molhei os pés
as mãos
a nuca
o rosto
então
todo o corpo mergulhei
batismo
sal na minha boca aberta
atropelava o fôlego
recobrando
redobrado
e tomei-te um pouco
pra mim
um pouco
um pouco mais
mais um pouco e outro pouco
advindo
gole em gole
gota a gota
embebido
ensopado
nas tuas águas tranquilas
meu agito
no meio do mar infindo
saí do teu leito
encharcado
imaculado
transbordando
derramando poesia
minha rima
meu assunto
atrevido...


Marcos Segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário