quarta-feira, 29 de agosto de 2012

honey moon





Doces luas
açucaradas
adocicadas
enluaradas
risquinho luz no céu escurecido
beijinho rapidinho 
um selinho
riso proposto no portão
lua cheia de amor
uma noite inteirinha
luinha nova inteira
minguante e meia
traço de luz brilhante
num céu de escuridão
foram tantas luas
e são
nossas doces luas de mel
clarão
você e eu e um céu aberto
sobre nós acendido
nossa lua 
céu bonito
cada dia
lua nova vindo
cenário no céu de anil
e quando o sol nasceu
tudo ficou 
claro infinito...


Marcos Segala

Pratos limpos





Nada é tão bem explicado
que não some dúvidas
para os duvidosos
desconfiados
o esclarecido
desconhece também o seu caminho
ninguém é dono do amanhã
incerto
ninguém tem mãos ocupadas do próprio destino
quem pode prever
o que está posto na banca do amanhã
reservado...
Aconteceu o imprevisto e o apanhou desprevenido
eu
tu
ele
nós e todos nós que vimos
o prato limpo
vazio do que se serviu há pouco
o que será para o jantar?
Não se sabe
não se leu
o menu do tempo desapareceu...
Está servido?


Marcos Segala

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

prevalecência a existência




Aqueles anos 
que nos cercaram
absorventes da nossa juventude
eram
anos de severa tempestade
Eram dias 
de construção de sonhos
enfileirados todos
sem nenhuma responsabilidade
de realidade viva
Era só poeira no ar
um ajuntamento de ideias
uma passarela
com tendências
fashionistas de moda... }
Mas,
algo raríssimo mudou
entre o dedo e o gatilho
disparado 
e o tiro saiu 
pela culatra
a vida morreu pelo avesso
e continuamos vivos
o detonador de sonhos
falhou
Hoje a verdade
é verdade acima de toda
mentira exposta
toda a rima proposta
toda porta entre-aberta
não entre
Hoje o sonho doce é sonho
e a vida
extraordinária
atrevida
sou eu e você ainda...


Marcos Segala

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

pingando mel





Palavras
carameladas
com doçura
e gentileza
por favor
obrigado
á sua vez
delicadeza
presa entre os dentes
fica
na ponta da língua
portuguesa
boca pingando mel
palavras simples
preciosas
garimpadas
no leito do coração
lapidadas na singela
canção que empresta
da alma
razão
amor compartilhado
bom bocado...


Marcos Segala

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Vitamina pura






Minha vida mudou
radicalmente
e bem provável fosse
atendendo simplesmente
ao contorno de vida
dantes previsto 
numa história 
de amor pra contar no tempo
um drama
um romance
poesia
e a soma de palavras doces
No balanço exercido
aprendido
perdas
e danos ocorridos
feridos
acudidos 
foram
todos os sonhos 
previstos no mapa do tempo
em que eu viveria 
de cor em cor 
sonho colorido
O que se fez da vida?
Perguntou-me no saguão de embarque, 
Troquei o café 
por um suco natural de laranja
sem adição de açúcar
alterei o pedido
preferi vitamina C pura
á estimulante cafeína
Deu-me tempo o tempo
de ser atendido
e sou mais feliz assim...


Marcos Segala

fôlego de vida



Vivi como criança
destemida e curiosa
absorvi a vida
todo o tempo 
guloso e divertido
se pela frente 
me cerque o caminho 
fosse
como se me veio
o caminho atrás
virá adiante 
eu adoraria
viver
como vivi até aqui
na compreensão grata
de que era isso mesmo
era mesmo assim
que se me faria o degelo
desse calor de vida em mim...


Marcos Segala

terça-feira, 21 de agosto de 2012

velocímetro





Tão depressa

Sem pressa nenhuma

Tudo ficou logo obsoleto

Ultrapassado

Retrógrado

Gira o recuo

Na rapidez da vida

Inovada

Agora mesmo

Tudo refeito

A roda quadrada

não girava, arrastava

...

A vida sobre rodas

Veloz

Desliza



Marcos Segala

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

o doce dos anos da idade madura





Fruta mordida

Poupa

Dura

Enrijecida

Juventude ainda

Morro de preguiça

De esperar...

Seiva amarga me apega na boca

Nódoa me traga a língua e os dentes

Amarga juventude

Deixa quieto um amanhã a mais

Depois de um amanhã completo

Uma noite extra na espera

Amadurecido o fruto

Morde

Come

Que se farta

O fruto maduro
Fruta doce saborosa
Doce é o fruto maduro


Marcos Segala

novela o novelo





Quem conduz o caminho

Condiz ao descanso

Às vezes me sinto confuso

Ausente

Diferente

Perdido

Seria assim mesmo o novelo?

Noutras vezes nem sei se sei o que pensar

Desentendo o intento do caminho

O que dizer do que eu vejo

Satisfeito

Desfeito insatisfeito o novelo

Desvelo

Refeito

Lá se vai longe a linha e o novelo inteiro...


Marcos Segala

sábado, 18 de agosto de 2012

guarnecido na lembrança






belas imagens
guarnecidas
na memória
fotografias
dias amanhecidos
esquecidos
parcas referencias
condolências...
gente que se foi
e não voltou
nem eu mesmo voltei
deixei de lado
esqueci
amanheci em outras terras
outros verões
virão
e eu me terei por vencido
abastecido
da nova estação
renascido...


Marcos Segala

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

nos parques perto de casa







Cada vez mais
em mais dias
abraço fins de tarde
junto á margem
de um curso d'água
barulhento e festivo
tranquilo
desse anestésico rio
e quando cai o dia
já frio
me envolvo cálido
no hálito da noite
e descaso compromissos
de voltar a casa
cedo
esqueço
a tv e as notícias
temerosas
violências
desconfio da maldade
dos homens
existe
e retorno quando chega
a hora
em que o meu corpo pede
o aconchego
bonito
do meu quarto
minha cama
tempo de estio...
felicidade


Marcos Segala

cotidiano






Era só um pouco de tristeza
nada sério
nada demais
uma certa nostalgia incerta
uma lágrima caída era
um rubor na face
um frio na barriga
solidão
depois
como tudo
vem sempre o depois
das horas que são
o vento soprou meu cabelo
vento de fechar os olhos
ventania
e quando abri de novo
alegria
tudo varrido na mente
diferente
como um gráfico excitante
a vida sobe e desce
de contente
tudo muda num segundo
derepente
e os dias não são nunca iguais
era só um pouco de tristeza
e tédio
espalhado nos olhos
nada que uma boa olhada pela janela
não me enchesse os olhos de novo
do novo...


Marcos Segala

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

colírio






Lacrimejei os olhos
marejei
de tudo o que vi
chorei
por tudo o que não vejo mais
o que hoje
me enche os olhos
não é água de rio
não é mar
nem chuvisco é
neste tempo seco
sequidão
o que me molha os olhos
são seus olhos
vejo
limpa as vistas
e a visão...


Marcos Segala

leito de rio






Passa por meu leito
peito
um devaneio
toda essa água
que desagua
destinada ao mar
dos olhos da minha vida
aguaceiro
um oceano
tendo o bem em mim
o bem que é em si
tem-se em si mesmo
de ti pra mim
de mim pra ti
compartilhado
ao meio
meu leito
um fio de vida
margeando viva
água-dentro
encontrando o mar
inevitavelmente
desaguar...


Marcos Segala

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

o lugar de cada um





Cada um
tem o seu lugar
que tem...


Marcos Segala

transbordamento




O que eu tenho
de você
sobeja
quando
estende á mão
a bandeja
que me seja
vai até ao chão
e me beija
sobeja
ás pressas o meu coração
sobeja...


Marcos Segala