quinta-feira, 20 de setembro de 2012

o amor é flor





Era uma flor singela

nascida calma 
antes da primavera
entre os rochedos
despertada
forte
petalada
levantou-se
persistente
contra as intempéries presentes
achou lugar 
pra florescer
não foi plantada
mas suprimiu exuberante
qualquer outra flor
de mais nobreza
ou beleza
não fora escolhida
pra alegrar a mesa
num vaso de vidro translúcido
mas enfeitava
bela
um canto 
tosco do jardim
Era uma flor singela...


Marcos Segala

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Caminhante




 Um pouco de tristeza
abatimento
me fez olhar a vida
com o olhar mais pleno
arregalei os olhos
pra ver exatidão precisa
da reflexão 
que a melancolia trás
Que conceito é esse
letargia
que me detém 
no ponto de partida? 
Se há partida
justo 
haja 
chegada 
á vista
Percorrer a vida
dita a alvorada
lúcido
um caminho alegre
depende de quem
caminha
e não impõe no rosto
desgosto
mas mantém
ainda
a fé na caminhada
Caminha ...


Marcos Segala

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

supervisão


Que me viesses
então 
em sonho
em asa aberta
borboleta
avião
sobre as águas do oceano
navio
embarcação
me venha
ao pensamento
num momento
sem esforço da lembraça
aglutinada
do teu rosto
vívido
claro
pleno
rompendo a manhã
na tua volta
vens
espero
venha...


Marcos Segala

sábado, 15 de setembro de 2012

regeneração



Eu me replanto 
todo dia
fecundamente
me replanto
a cada manha
ensolarada
como semente
inchada
arrebento
me contorcendo
sedento
me enraizando
vida e terra fértil
em mim mesmo
nutre e me aquece
me estendo
alcanço
rompendo
me expando
trajetórias em curso
nova vida 
dentro desta velha vida
me recomponho...


Marcos Segala

a natureza canta, eu encanto





O vento varreu
as folhas secas
e um tufão as espalhou
pela rua fora
como milagre
nato 
rejuvenescimento
a árvore desfolhada
seca
hibernada
verdeceu novamente
apesar da escassez de chuva
regasse a terra
tudo está colorido
amarelos
verdes renovados
dourados
marrons desmaiados 
violáceos
azuis azulados
num céu branquinho 
de fumaça poluída
o rodopio festivo 
dos ventos
toca as folhas
para o alto
como brincando 
refazer a primavera
o bougainville 
debruçado sobre o muro
o ipê florido 
derramando flores na calçada  
e a passarada barulhenta
festa
entre os galhos frutíferos 
do meu quintal
algazarra nos ninhos...


Marcos Segala

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

viva lembrança





Lembrei-me agora mesmo
sua voz posta
imposta
aos meus ouvidos
atentos
a voz de minha mãe
ecoando pela casa
sorridente
contente
lembrança antiga
tão presente
de repente
lendo-me estórias
edificantes
divertidas
cantando
cantarolando
ou rindo simplesmente
os sons da sua voz
na sala ecoando
numa sintonia 
alcançável 
pronta
dia e noite
sua voz amiga
comigo 
ouço...


Marcos Segala

á céu aberto





Todo esse céu
brasileiro
aberto céu sobre mim
outros céus assim
estão abertos 
no estrangeiro
Minha mão estende
alcança
meus olhos 
miragem
ver-te
céu de estrelas
lábaro estrelado
ostentação 
constelação
Olha pra o céu
daí donde estás
verás
os pontos brilhantes
de luz
mapa sinalizado
no céu tão limpo
nítido
saberás exato
o ponto 
lugar 
onde estou 
a te olhar
olhando o céu
daqui
e o céu daí
donde estás...


Marcos Segala

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

ao filho desaparecido







A minha 
esperança 
espera
ver-te
espero
no meu pedaço de vida
dentro do teu 
ainda
padeço
a espera
de ver-te
em vida
Espera vida
espera
não vi ainda
o que espero
ver ainda
na vida...






Marcos Segala

ambiguidades





Presto atenção 
ao que a vida 
me diz
ambiguidades ditas
esquinas
malditas
benditas
duas mãos 
de sua bela pista
indo e vindo
escoando
rolando 
correnteza acima
um contra-ponto
duplo sentido
O que quer dizer tudo isso?
Que me diz não
tão audível
me dás um sim infinito
entre os sins e nãos
da vida 
tido
me divirto
sofro 

vivo
entre o não e sim
da sua mão
sobre mim...


Marcos Segala

terça-feira, 11 de setembro de 2012

tirando o fôlego


Se me tirasses o fôlego
fosse
eu ainda teria outro
como o gato
que tem sete
fôlegos de vida
tantas vezes sete
seria
tanto fôlego 
tenho ainda
se me tirasses 
o fôlego que me deste
e que aos poucos 
me tiras
desse jeito
não é defeito
que o tomes para ti
meu fôlego
tirado
entregue
inteiro
E o meu peito cheio
de fôlego pra dar...


 Marcos Segala

gênesis






Há momentos
não sou gênero
sexo
algum
acreditando-me
masculino
feminino
nem sou o que sou homem
nem sou o que sou mulher
nem sou o que não sou
tornado 
fosse
seria
alma vivente
eu sou
cheio de vida
sou o que eu sou...


Marcos Segala

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

um ponto de interrogação






Errar
é humano
O que é
ser 
desumano?



Marcos Segala

a goiabeira no meu quintal


Sobeja
beija 
o chão
derramando 
os frutos
maduros
ao pé
da árvore
frutifera
cheia de filhos
terra abençoada 
promessa...


Marcos Segala

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

tapete voador







Belo tapete
vermelho
sob os teus pés
teci
chão
encarnado
escarlate
colorido
estendido
me pisas o chão
coração
sagrado o chão
em que pisas
tire as sandálias
dos pés
ou tire
os pés do chão...



Marcos Segala

luzes no jardim




A tua luz
iluminando
minhas vidas
inteiras
todas que vivi
ao teu lado
iluminas o meu caminho
enluarado
entre as árvores
do jardim que me deste
a cuidar e guardar
árvores hibernadas
ansiosas pela chuva
primavera
como anseio a tua volta
doce espera
maranatha...


Marcos Segala

mergulho





Quando
o amor
vem afagar o coração
sou afogado
no agrado
do seu afago
coração...


Marcos Segala

terça-feira, 4 de setembro de 2012

meu coração




É que a casa da gente
pode ser
simplesmente
um ninho
um abraço
ovos fritos
aconchego
pode ser um laço
um palácio
mesa posta num banquete
pode ser um lar singelo
uma choupana
um barracão
assuntos domésticos
coisas do coração
que seja um templo
um trono
rei
rainha
casa na minha casa
casa na tua casa
coração...


Marcos Segala

outras belas imagens




Essas
belas imagens
guarnecidas
na memória
fotografias
dias amanhecidos
esquecidos
parcas referencias
condolências...
gente que se foi
e não voltou
nem eu mesmo voltei
deixei de lado
esqueci
adormeci em outras terras
outros verões
virão
e eu me terei por vencido
abastecido
da nova estação
renascido...


Marcos Segala

sábado, 1 de setembro de 2012

abarrotado






 

Frutos maduros
em pencas
em cachos
outros caídos
desmaiados
ao pé da árvore frutífera
lançados
uns pra mim
outros pros pássaros
vizinhança
abundância
e todo mundo
nessa
comilança
cestos cheios...

Marcos Segala