sábado, 23 de fevereiro de 2013

noite alta


Finalmente
amanheceu
e vi o clarão da aurora
vindo
lindo
um novo dia
florecer...
   Cheguei a pensar
que não veria
a luz do dia
morreria
...
parece muito solitária
a velha morte
por mais que alcance
gente ao seu alcance
ela parece sempre só
...
desesperei da vida
já em pânico
acordado toda a noite
com medo de dormir
e não acordar mais 
Quero cumprir os meus dias!
...
 Depois despertei
como de um longo sono
    o desespero de um  
   pesadelo vívido
sua mão segurava a minha
e amenizava
a solidão contida
esvaziada na sua mão
a minha dor sentida
....
Acordei!


Marcos Segala 
  
 

tudo todo protegido




Fico
pensando 
como seria
se eu tivesse 
envidraçado 
a vida 
colorida 
que conheço 
No gargalo
deste vidro
embutido
vitrificado
por você sugerido
Acredito
agredido
por uma forma
concisa de viver
Ainda quero
espero
viver fora 
disso tudo
o preto e branco
absurdo
da prisão 
envidraçada
peixe de aquário
quadrado
tudo dentro 
e nenhum pensamento
nem o vento
nem o tempo
nem a lua
nem o sol
nem janelas pro amanhã
nem um plano existisse
nada imaginado
de um horizonte possível
avantajado
nem sombra
água fresca
refrescada
Nascem-me asas
solidão...
Fico pensando
como seria 
se eu tivesse enlatado
a minha visão
fotografia
e nunca mais 
existia
cor
flor
o sentimento
de ser
e estar
lá fora
simplesmente
livre...


Marcos Segala