quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

o segrêdo









Paginas tenho a dizer
mesmo que fosse pra mim mesmo ler
Seria
traduzida
em forma de vida
a minha
quando dita nos teus lábios
de mel
doçura
sabedoria
descrita
citando o meu nome em grafia
dentro dos meus ouvidos 
todos
os sentidos que eu tenho
meu nome ao pé do ouvido
quando digo { em segredo
                        sou teu
                        amante
                        teu amado
                        meu amor}



Marcos Segala  

Embarcação






























Quando me deixou ali
no meu
assombro 
pavor 
abandono
deixou-me sobre as águas
andar
á pé enxuto
fez-me andar 
até um porto seguro...


Marcos Segala

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

os dias ficam iluminados







Há dias escuros mesmos aos mais esclarecidos do escuro, 
"não temas pois eu sou contigo," não havia ponto, era só a virgula da respiração e tomava fôlego imediato de novo tendo uma janela aberta acendida fôlego de vida!


Marcos Segala

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Voa





Pode até ter medo de altura
mas deve saber do poder de suas asas...


Marcos Segala

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

A arte de ser feliz




HOUVE um tempo em que a minha janela se abria para um chalé. Na ponta do chalé brilhava um grande ovo de louça azul. Nesse ovo costumava pousar um pombo branco. Ora, nos dias límpidos, quando o céu ficava da mesma cor do ovo de louça, o pombo parecia pousado no ar. Eu era criança, achava essa ilusão maravilhosa e sentia-me completamente feliz.
HOUVE um tempo em que a minha janela dava para um canal. No canal oscilava um barco. Um barco carregado de flores. Para onde iam aquelas flores? Quem as comprava? Em que jarra, em que sala, diante de quem brilhariam, na sua breve existência? E que mãos as tinham criado? E que pessoas iam sorrir de alegria ao recebê-las? Eu não era mais criança, porém a minha alma ficava completamente feliz.
HOUVE um tempo em que minha janela se abria para um terreiro, onde uma vasta mangueira alargava sua copa redonda. À sombra da árvore, numa esteira, passava quase todo o dia sentada uma mulher, cercada de crianças. E contava histórias. Eu não podia ouvir, da altura da janela; e mesmo que a ouvisse, não a entenderia, porque isso foi muito longe, num idioma difícil. Mas as crianças tinham tal expressão no rosto, a às vezes faziam com as mãos arabescos tão compreensíveis, que eu participava do auditório, imaginava os assuntos e suas peripécias e me sentia completamente feliz. 
HOUVE um tempo em que a minha janela se abria sobre uma cidade que parecia feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim seco. Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre homem com um balde e em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz. 
MAS, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.
in “Escolha seu sonho”  de Cecília Meireles

Quis transcrever aqui um texto lindo que me emocionou na tarde de hoje, quando tirei um tempinho para lavar a alma de palavras, poesia, cecília...

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Fera ferida?





Mostrou-me 
a alma abatida
e eu vi
um 
coração
partido,
se quiser
falar
ombro
amigo
comigo
conta,
disse-me ele
ao pé do ouvido...

Marcos Segala

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

parece brincadeira com frio na barriga























Eu poderia me sentir aflito
em perigo
mas quando me lembro abrigado
contigo
rindo
retirado
separado
fico
e toda a aflição do aflito
esquecido
sob tua mão 
protegido...

Marcos Segala

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Adotado, adotivo, filho












Fiquei muito tocado no fim de semana em sua casa, foi como uma visita a um templo, fui sendo abençoado. Depois senti no meio de tudo, já tudo usufruído, compartilhado, como se eu deixasse a desejar o merecido... Acredito, fui bem vindo pra ver o possível , o provável refletindo, me fez lembrar de um outro lar que visitei um dia bem longínquo, e que me acreditei por uns instantes, definidos, que aquele era o meu lar prometido... vindo... 

Marcos Segala

A casa do meu pai








Eu vi a casa da árvore de que você falou
e a olhei de todos os lados vistos
daqui de baixo e ela firmada firmo
entre os galhos altos da arvore protegido
guardado de todos os ventos noturnos
lobão-lobinhos vindos,
agasalho filho em suas asas abrigo.

marcos segala

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Meu amparo







Queria ter um lugar

alto retiro

onde pudesse refugiar

meu mundo

quando preciso

Tenho a casa

a sala

o quarto

o jardim

os livros

uma taça de vinho

Caminho a pé por aí

por entre as arvores

testemunho a solidão do sol

no entardecer

desmaiando no horizonte

melancólico quase triste

raramente encontra a lua

findo o dia

Fecho os olhos

vejo o retiro 

que procuro

dentro em mim

o Teu refúgio...

Marcos Segala



quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Sobejou



















O pão de cada dia

Acredito

banquete

mesa posta

saciado

não duvido


Haverá

para o faminto 

pão

fruta

água

vinho

minha mãe me falava de um maná,

recolhido do enviado divino...

quero que meus filhos saibam,

que de maná serão supridos!

Acreditus...


Marcos Segala






 


















 














































Tá gostado, Combinado!







Você gosta

eu gosto

assim pouco

importa

se alguém desgosta

eu gosto

nós gostamos

eles gostammmmmmmmmm

gostamos todossssssssssssssss

 

Marcos Segala

Doce mel



 
 
 
 
 
 

Me adoça

a glicose

doce e adoço

adocicado

do seu doce

então adoço

me adoce

e a vida sempre assim

açucarado


adocicado

lambuzado


Marcos Segala

Aveiro




















A água ferve nas plantas quando rego,

água quente nas torneiras

esvaindo

evaporando

sob o sol ardente

escaldante

desmaiado

derretido

me derreto

escorro

desaguando a fio

como rio indo prosseguindo avançando

me banhando inteiro

agua fria

aguaceiro


Oceano...




Marcos Segala


fruto o bastante


















 

"Ainda que a figueira não floresça, e a vide não dê o seu fruto..."

sei que no pior dos se nãos que eu os ouço dizer

sei que o vinho novo foi feito das águas vivas

e que o pão era servido pão partido

e havia o bastante para todos!

Era assim,


Marcos Segala

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Alegre despertar




 
 
 
 
 
 
Cada dia
que eu acorde rindo
ria rio renovado dia bem vindo
bendito o dia acordado
meus olhos visto
mais um dia vindo
dias melhores
que os primeiros dias
são prometidos
novos tempos
novos dias
 
 
 
Marcos Segala


Amplidão





Nasci numa casa ampla
Avantajada
Mãe de filhos
Acostumei os olhos ao que via
Bom gosto
Obra prima
e eu pirralho
Ao ralho
Dos maus feitos cometidos
Me sentido
Favorito
Dentre a filharada toda
Bendito
O fruto do teu ventre
Mãe de filhos...


Marcos Segala

Indo longe













Eu nem sabia ao certo quem eu era
quem eu ia
quem eu via
ia indo nem sabia ao certo vindo
até que um dia
veio vindo indo e vindo findo o trilho
sina sino
me retomando a via
andança
mudança
caminho


Marcos Segala


Eu girassol






Quando me disse
sempre seria dia
meio dia
meus dias
acreditei
viver dias ensolarados
embora
chuvosos
nublados
não importa
bom dia
bons dias
sombra e água limpa
vivi longos dias
com Teu sol ao redor de mim...


Marcos Segala















Eu refletido



 
 
 
 
 
 
Um dia ele mostrou-me
no espelho dos seus olhos refletidos nos meus olhos inteiros
dentro dos meus olhos inteiros
olho no olho olheiro
um bela tartaruga de mim mesmo
cabeça intimidada
enfiada numa carapaça
casco
cascudo
duríssimo
depois mostrou-me o rascunho de mim
nos seus olhos vistos
Vi
uma águia abrasando nos céus de mim mesmo
e eu a voar
domínios
algures
mais altos
que aqueles na carapaça
carapuça
que eu vivia atolado... Foi quando descobri que poderia mudar os rumos do meu destino apenas tendo uma imagem mais nítida de mim mesmo no espelho.
 
 
Marcos Segala
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Acolhimento



 
 
 
Fui educado
 
para achar
 
que eu não era
 
o bastante
 
bastava-me saber
 
o meu lugar de colo que eu tinha
 
o resto
 
era todo o resto que eu tinha
 
mas só uma coisa valia
 
sabia o colo que eu tinha...
 
 
Marcos Segala
 
 
 
 
 
 
 
 
 


sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Nas margens do tempo





As coisas
sofrem seu desgaste
natural
naturalmente
desigual
envelhece
envelheço
Muda a minha cara
traços contornados
na idade
do meu rosto
O espelho mostra-me isso
sem nenhum pudor
constrangimento
Despudorada
desconstrangida ficou a minha vida
reinventada na idade
rejuvenesço
na minha alma
remoçada...


Marcos Segala

A fé e a poesia





Ainda bem
que o esboço
da poesia
me abraça
forte
e anela
a alma
Revitaliza
Como um veio
de fé
no coração
Mar eterno
desagua o meu peito
caminho feito
as vezes refeito
na contramão...


Marcos Segala

Do outro lado do mar





O gelo
derreteu
A lembrança
esqueceu
A água
o boi bebeu
O tempo
que passou
O relógio
que atrasou
O passado
não voltou
O ano
que voou
E eu avancei
cresci
ultrapassei
o horizonte
e olha eu aqui
Do outro lado de mim...


Marcos Segala

Eu permaneço






Nem por uma só vez
Uma vez só
Posso abrir mão da Confiança
Redobro
A esperança
Aguardo
O reparo do tempo
Os olhos da Providência
Aderindo
A bela vista
Que almejo
À frente
Encontrar...


Marcos Segala

sábado, 15 de agosto de 2015

A flor do seu sorriso





Ela cantou
o que eu cantaria
e disse o que eu diria
Ensinou-me que sempre haveria
um colorido firme
em dias nublados preto e branco
Seu olhar
seu riso
sua reprimenda era igual
sem alternância
pois mesmo bradando o meu nome repetido
num alerta ao meu mal feito consumido
ela fazia ecoar pela casa o seu amor
seu cuidado
seu carinho
refletido
Ainda ouço comigo
pranto
ou riso
o seu conselho amigo
Agradeço a Voz Divina
que ela traduziu...


Marcos Segala

domingo, 9 de agosto de 2015

Aba Pai





Quando tornei-me pai
Tornei-me melhor filho
E por certo minha mãe
Encheu-se de orgulho e
Contentamento
Eu mesmo não cabia em mim
Tendo em meus braços
O pequeno Abraço
Do serzinho feliz
E copiava cada detalhe do seu rosto
Formoseando o meu próprio
No seu riso
Era todo festa, satisfação
Cada "foto gracinha" clicada por meus olhos
Revelava a graça alcançada na paternidade
Seu nome seria esse mesmo Alegria
Mesmo que outro nome lhe fosse dado
Alegria marcaria pra sempre
A minha vida
Desde o dia que me foi dito
Que seria escolhido
Para ser o seu pai...
Feliz dias dos filhos, 
Papai.
(É que também sendo filho
Também sou pai)


Marcos Segala

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Busca Te busco






Não me canso de buscar
lá ou cá
aqui ou acolá
um vestígio que fosse
um rastro de nuvem
um caminho de estrelas
um facho de lua
que te marcasse
escrito
no céu um Escrito
do Teu caminho no meu...

Marcos Segala

Alcance Te Alcanço





Claro que eu sei que nada é igual
2 vezes
Em todo o tempo 
estaria disposto
e
não cobriria o rosto
à possibilidade de ter de novo a chance
de te encontrar noite a fora... Te busco 
Te procuro
Se fosse impossível
se fosse possível
eu veria do mesmo ponto
tomado pela certeza desse encontro...

Marcos Segala

Tempus hibernus







Vento trazendo
Poeira
Pra dentro dos olhos
Desalinho
Agosto
Sequidão
E frio
Parece deserto
Quando o vento cessar
E a primavera chegar

Por certo
Espero
O seu gosto
Bom gosto em mim...

Marcos Segala


terça-feira, 21 de julho de 2015

Maçãs do amor









Palavras simples
carameladas
doçuras e gentilezas
por favor
obrigado
delicadeza
presa aos dentes
na ponta da língua
portuguesa
boca salivando mel
palavras simples
preciosas
garimpadas no leito rio coração
lapidadas na singeleza
canção que se empresta da alma
amor compartilhado
bom bocado ...


Marcos Segala

domingo, 5 de julho de 2015

Não esqueço





Lembras de mim
quando
nas lembranças
que me trazes de ti
me alegras em riso
tudo o que sinto
lembrando de ti
em nossas lembranças...

Marcos Segala

Bolhas de sabão








Como expressar em palavras o que sinto,
o que vejo em minha mente por si só,
deveria expor facilmente o que escrito está no coração
e que me sobe á boca balbuciando as palavras coloridas soltas no ar como bolhas de sabão...
Prontas que estão pra lavar dos olhos toda lágrima;
Quero que elas possam ir ao teu encontro como que,
ecoando pelo ar até aí ao pé de ti... Te falaria ao ouvido num sussurro definido...
Atravessaria mares,
ares,
vales,
Jales,
sares o teu coração espelhado do meu,
do que sinto por ti ... Saudades!
Sabes,
sempre o terei em mim,
por mais que tempo passes, não passo...
Por mais que não te abrases, abraço...
Por mais que não me notes, anoto...
Por mais que os dias passem, vigio...
Permaneço

Marcos Segala

  


















O sorriso da Graça







Graça
me sorriu
quando 
Ele 
me sorriu


Marcos Segala

sábado, 4 de julho de 2015

brinco briancando






Como pode 
os anos terem passado
e eu seguir brincando
como se fosse menino?
Brinco brincando de ser jovem
brinco que brinco ser menino
brinco que sou um velhinho 
e meu trabalho brinquedo que faço
prazerosamente me satisfaço
preciso da idade pro trabalho que faço
preciso da idade pro brinquedo que brinco.
Brinco com você comigo
brinco sozinho sem você comigo
brinco que brinco que você está 
brinco que brinco que estou noutro lugar
brinco no imaginário
rio
sonho acordado
brinco dentro de mim
brinco fora lá fora
desapercebido
brinco que estou além mar
em terras que vi por lá
brinco que estou de passagem
brinco que vim pra ficar
brinco de vida inquieta
brinco de paz eterna


Marcos Segala



A força do otimismo!






A visão que me abraça
o tempo
e o espaço que eu tenho
me alcança a esperança
que vejo dobrando a esquina,
irresoluto
parto pra cima das coisas que eu quero
com devoção...


Marcos Segala

uma boa ideia





Ando com umas ideias
boas que são
serão capazes de
de reinventar a vida...


Marcos Segala

Colo de mãe





O bom abraço
de minha mãe
não tinha
a ver com o corpo
era um abraço
de alma,
se assim foi quando foi
assim era quando era
assim foi
assim será
ainda me abraça a alma
ainda abraço...
abraça-me


Marcos Segala

Esperança Viva

 
 
 



Meu
pai
morreu
mas
Deus
está
Vivo!

Marcos Segala