terça-feira, 10 de novembro de 2015

A casa do meu pai








Eu vi a casa da árvore de que você falou
e a olhei de todos os lados vistos
daqui de baixo e ela firmada firmo
entre os galhos altos da arvore protegido
guardado de todos os ventos noturnos
lobão-lobinhos vindos,
agasalho filho em suas asas abrigo.

marcos segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário