domingo, 30 de outubro de 2011

nos olhos do medo


... quando o medo passa,
a gente descobre que o balanço era seguro
e a gente não balançou.

Que a escada era rolante
e a gente não subiu,

que o fruto estava maduro
e a gente não pegou...

Quanto medo eu tive de perder
e não perdi,

Decidi,

Não vou morrer de medo de existir

Vou viver

e o medo que morra de medo de mim...



Marcos
madrugada de outubro quase novembro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário