quarta-feira, 1 de maio de 2013

Um Todo

Disse o Monte
Nas alturas cume-monte
Estou só
E lá se foi o seu caminho
o Rio
Sozinho
O Céu também estava só
No infinito 
O Horizonte não ouviu o meu grito
Repetido
Eco-erguido
Eu 
Sentado no cume do Monte
Mais sozinho
Do que comigo mesmo
Olho á volta a solidão infinda
Colorida
Inscrita na solidão da paisagem
Chego logo á conclusão prevista
Não existe solidão
Cercado de mim mesmo 
Por todos os lados
Em que vejo o Céu
o Sol
o Horizonte 
o Rio deslizando trás dos montes
Sozinho o seu caminho
Acompanhado disso tudo 
Que o faz ser Caminhante...
Eu caminho.

Marcos Segala 
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário