sábado, 15 de setembro de 2012

a natureza canta, eu encanto





O vento varreu
as folhas secas
e um tufão as espalhou
pela rua fora
como milagre
nato 
rejuvenescimento
a árvore desfolhada
seca
hibernada
verdeceu novamente
apesar da escassez de chuva
regasse a terra
tudo está colorido
amarelos
verdes renovados
dourados
marrons desmaiados 
violáceos
azuis azulados
num céu branquinho 
de fumaça poluída
o rodopio festivo 
dos ventos
toca as folhas
para o alto
como brincando 
refazer a primavera
o bougainville 
debruçado sobre o muro
o ipê florido 
derramando flores na calçada  
e a passarada barulhenta
festa
entre os galhos frutíferos 
do meu quintal
algazarra nos ninhos...


Marcos Segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário