sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Vista alegre






Olho pela janela da sala

E a visão alcança as torres de aço

Erguidas e impostas ao crescimento

Desordenado da cidade

Já tivemos mais árvores na paisagem

Quem agora busca tranquilidade

Encontra os condomínios periféricos

Afastando, arrastando pra lá a cidade

E o tal progresso urbano...

Logo verei a cidade distante

Vista ao longe o seu amontoado

De edifícios erguidos assombrosamente

Imensos pombais de aço e concreto armado

Cada vez mais compactos

Três quartos com suíte e sacada

Mas na sala só cabem duas pessoas sentadas...

Ou me meto dentro de um desses apertos

Ou prevaleço no privilégio de um quintal e jardim

Vendo a cidade ao longe distante

E perto o ar puro

A fruta no Pé e a vida tranquila na vila

Outra vez...
Marcos Segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário