sexta-feira, 17 de agosto de 2012

cotidiano






Era só um pouco de tristeza
nada sério
nada demais
uma certa nostalgia incerta
uma lágrima caída era
um rubor na face
um frio na barriga
solidão
depois
como tudo
vem sempre o depois
das horas que são
o vento soprou meu cabelo
vento de fechar os olhos
ventania
e quando abri de novo
alegria
tudo varrido na mente
diferente
como um gráfico excitante
a vida sobe e desce
de contente
tudo muda num segundo
derepente
e os dias não são nunca iguais
era só um pouco de tristeza
e tédio
espalhado nos olhos
nada que uma boa olhada pela janela
não me enchesse os olhos de novo
do novo...


Marcos Segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário