quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Razão e sensibilidade!




Depois de tudo
Ficas tão sensível
E tem de se afastar
E eu tão sensível fico
Depois de tudo
Só quero te abraçar...
Noutras vezes tantas
nem era solidão
não era
não era o seu braço
nem abraço
era mesmo a tua ausência
insuperável
presença...
É por isso que quando estejas
antes 
durante
abraços e depois
descanso em abraços
de novo
permaneças
pois que quando te ausentas
e eu de braços vazios
dos teus braços
numa solidão intransponível
fico...





Marcos Segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário