quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Dualidade







Amei 
com tudo 
o que minha alma feminina
possa,
amei valente
inóspito  
de repente,
na defensiva de me machucar
uma concha eu fiz
Por fim me rendi e amei 
com a violência da paixão imposta.
O homem que há em mim 
te ama
macho e arredio
decidido
intrépido
afinco
constante
reconfortante 
o teu amor em mim...




Marcos

Nenhum comentário:

Postar um comentário