quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Ancoradouro







Lágrimas
transbordam
dos afluentes dos meus olhos 
mariados 


sabem a sal...


Meus olhos verdes
de mares e oceanos incontidos
profundo
verde infindo
onde navios vastos
Embarcações
navegantes
transeuntes marítimos
bárbaros
exploradores
descobridores 
sete mares nos olhos contidos


indo e vindo
nos meus olhos cheios d'água vertidos...


Onde vai toda essa água desaguar?


Nos lábios um riso estendido
entoa silencioso alegre canto  
alegoria 
contente de uma esperança
confiança que me alcança
Perseverança...


Que lágrima caldalosa é essa
que me faz perdurar o riso
como âncora tenaz 
que me atraca o peito
quase um defeito 
Esperançar

Perseverar...


Meu El dourado
encontrado
Terras além-mar
Céu infinito
redescobertas 
dum caminho inverso
sobre as águas bravias desses olhos-mar.


"El Capitan incendiou todas as naves como heroico e preciso ato de que qualquer desistência fosse logo vencida..."


Executados seriam aqueles que retrocedessem... Avante!


Dirige as coordenadas
de estrada sobre as águas
que me virão aos olhos
e que verei debruçar
sobre os horizontes que a vista alcançar...
Explorarei ideias
e ideais se farão possíveis
numa nova rota marítima
á expansão territorial de outros mares


o seu 
o meu
encontrar...






Marcos

Nenhum comentário:

Postar um comentário