sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Crisálid0



Encapsulado
Numa vida triste...
Desanimo!
Vou me levantar
E renovar as forças do que eu sei em mim.

Bom animo!

Arregaçar as mangas
E retomar ao trabalho
"Homens ao mar"!

Essa casca velha vai mesmo se partir um dia,
Se arrebentar aos ventos dentro em breve...!
Quem diria?

É assim com a crisálida-lagarta-transformada.
Minha Grisálida
É chegada a hora e é agora
O dia já vem,
Atou-me cheio de ideias e contentamento
Animado!

Estive faminto ideal-por-elas... Deste menino
Desde menino.

´Gora brotam multiplicadas
Cheias de vida!
Inspiração.

O marasmo dos anos infrutíferos
vou deixar que se evaporem
e detê-los no passado, aprisionados
Não me pertence mais aquilo que passou.
Vou esquecer!
"Mortos enterrem seus mortos",
Eu quero abraçar a vida e ter vida!

Rasteiro absoluto ainda
Entro de novo na pista, derrapo o meu carro
Atrasado!

Tenho pressa de ser feliz!

Por onde estive parado no tempo?
Tempo que passa por mim apressado.

Encasulado em mim comprimido

-Drogas me fariam entorpecer!
Cegar o bem querer - de quem se quer bem.
Rejeito!
Que jeito?

Janelas abrem imagens
Mais belas diante de mim.
Olhos arregalo!
Á regalo!
Presente bem vindo em tempo chegado.

Onde estive acumulando o meu tempo perdido?
Empilhado!
Onde está detido
que eu não 0 alcanço mais?
Onde aproveito o tempo que se me dará Patrão?
E o tempo previsto que se me virá Balão?

Voa Balão...


Marcos



Nenhum comentário:

Postar um comentário