terça-feira, 27 de setembro de 2011

Esperança



Tentaram fazer calar o meu
Amor
E amor próprio e afeição
e a declaração
exata dele nos meus escritos...

Quiseram calar minha voz e
a clara ação da vida
que brota perseverante viva.

E vejo a declaração do Amor
outra vez insistindo em se manifestar.

Se o Amor
Quiser
Por si mesmo que leia
ou não leia
Que veja
ou não veja
Seja
ou não seja

Seja lá o que Fosse, Era e Seria em fim.

E o que eu faria se Ele não se reconhecesse escrito aqui?

Mas se passa por aqui o Amor
Na janela da vida.
E
Lendo
Reconheça-se a si mesmo
e me atente

E me atenda o clamor

Que o Amor me leia,

Me veja

Me seja todo pra si.


Marcos

Nenhum comentário:

Postar um comentário