segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Casa comigo



A casa está tão silenciosa
e sinto
como se estivesses 
dormindo 
como fazes no fundo do barco
em cima dos mares
Prossigo...


Nas águas que fazem de mim
de ti 
Afluente,
minhas águas em mim
a caminho do mar 
Teu Mar
Meu M-Ar
Eu Rio
Fonte
de águas vivas...


Ás 
vezes
é 
tudo
tão 
quieto
por
aqui
que 
mais pareço viver num templo
Tranquilo Infinito
Pacificado 
abrigo 
de pardais e andorinhas
ninho para si em teus altares...


Apesar de toda essa 
Agitação de ondas gigantescas!
Dormes tranquilo no fundo do barco
comigo
Amigo...




Marcos

Nenhum comentário:

Postar um comentário