quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Esboço



Tenho um novo rosto
na fotografia
Um rosto envelhecido...
Construído.


Os anos passam 
e as marcas do tempo 
é que ficam...


O tempo me deu um novo rosto
Linhas
vincos, marcas na cara
rugas e sulcos desenham 
um rosto redesenhado


Tantos anos em que minha imagem
parecia estática 
Claro que essa impressão
de imobilidade do tempo 
era toda minha e o é ainda,
pois que quando me vejo
em fotografia
rivalizo o que me é perecível
Apazíguo o que há de eterno em mim...


Flores murcham e secam
como a erva extinguível no fim da tarde
Marcam apenas um momento na lembrança
no tempo... Ido
Lindo!


Diamantes eternizam uma lembrança-viva
e se tornam mais do que um enfeite
Um atavio
Vivo...


Alguém me sugere diante do novo rosto
Ter o meu rosto de volta de novo


Mas isso penso que não quero comigo


Quero o novo que me veja no rosto


Quero o meu rosto voltado pro novo


Pois que tudo o que vivi no rosto velho
Foi intenso e foi tão bom,


Caleidoscópio-vida


De novo o renovo do meu velho rosto
O rosto do resto da minha vida...
Cumprida.




Marcos

Nenhum comentário:

Postar um comentário