terça-feira, 29 de novembro de 2011

ninguém disse que fácil seria



Nada que se faça na vida
é proveniente fácil
ou de todo cercado de oportunidades
grandes ou pequenas
o nosso ponto de vista
é que mede o desafio proposto


Desde garoto
se via em meu rosto 
o gosto pelo desafio 
ou quase certo o perigo...


Fosse a corda fina pendurada num galho 
de arvore ás margens de um rio 
que promovesse aventuras 
pendurado ali por um fio
balançando o perigo
ondas de frio na barriga surgindo
mas nada
em absoluto pagava o momento
cravado na lembrança 
quando de noite já em casa
eu retinha os flashes mais emocionantes do dia


Ressurgindo...


Ora era a corda de um balde num poço
Uma cisterna funda
em que eu descia animado 
e cheio de vantagem
com a coragem toda
e adrenalina de ouvir a carretilha 
batendo forte
desenrolando a corda até que o balde
mergulhasse fundo nas águas do poço
e a garotada em balburdia 
gritando endiabrada 
do lado de fora do poço lá em cima...


Ainda lembro com o mesmo entusiasmo
alegre
animado 
as peripécias de menino traquina.


"Pode se machucar e uma hora ficar pendurado por aí...!"
Alguém dizia. 


Lembro-me ainda 
de atravessar enchorrada forte 
passando por dentro de manilhas 
que pro nosso tamanho proporcional 
eram túneis gigantescos 
cenas de filmes 
onde éramos todos heróis
na "terra de gigantes"
no "túnel do tempo"
ou "perdidos no espaço"
com o robot e o doutor Smith...


De modo que em todas as brincadeiras 
de criança 
reconhecidamente 
nos treinava vizinhas 
para as venturas e desventuras 
atuais 
da vida adulta...


Hoje
não é diferente, 
sair ás ruas e enfrentar as feras que se enfrenta
para ganhar a vida
e voltar pra casa tendo matado o gigante
e salvado a mocinha... 


Todo dia!


Nos 
desafia 
a vida...



Marcos

Nenhum comentário:

Postar um comentário