segunda-feira, 23 de abril de 2012

abelha bela e a bela flor







Veio ziguezagueando  

voo decidido

Como se fora para a flor

Uma dança de acasalamento

Graciosamente bem cuidada

A fim de não ofender

Tal delicadeza

Exposta ali toda a brandura

A flor pendurada linda

Esbanjava no ar toda doçura

O vento espalhou cumplicidade

Lançou no ar como num sopro

Aromas e perfumes preciosos

Abelha néctar mel e flor

Tudo num mesmo cheiro continua

O doce bálsamo perfumado

De poder hipnotizado

E o coração em transe na estação

Romance em um momento

O drama cortejado o pouso

Sessão da tarde anunciada

Cheiro de amor campestre

Na cumplicidade amena do meu jardim...



Marcos Segala 

Nenhum comentário:

Postar um comentário