quarta-feira, 25 de abril de 2012

o tempo não pára







Tive mesmo de sair correndo

O tempo não pára e por nada espera

E um segundo que esperasse chegasse

Era segundo passado pr’outra era

Corro tenho pressa e fôlego me falha

Tanta coisa tenho por dizer que falta

Tempo entre uma e outra concordância

Não discorda comigo, pois o tempo não alcança

Que eu lhe diga tudo a começar de novo...

Ouça,



Marcos Segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário