sábado, 21 de abril de 2012

vida suculenta








Larva voraz dentro do fruto
Lagarta insana faminta
Olhos mãos boca dentes
E o amanhã nem existisse
Desvairado “bon vivant” o presente
Dádiva pão de cada dia
Meu corpo inseto de asas provido
Adoço a alma clorofila
Seu corpo flor perfeita
Imaculado o fruto bendito
E a minha aparição refeita
Alma asa de borboleta. 


Marcos Segala

Nenhum comentário:

Postar um comentário